2 MPLA

Visite também o www.mpla.ao

Conferência de Imprensa online é acompanhada por 725 internautas



Na primeira conferência de imprensa online de Angola, promovida pelo MPLA, o secretário do Bureau Político para a Informação, Rui Falcão, respondeu a várias perguntas, em directo, que foram acompanhadas por 725 internautas. Durante os 52 minutos, Rui Falcão respondeu a 39 perguntas sobre temas de interesse directo do povo angolano, como políticas para a juventude, habitação, infraestrutura e salários. Na abertura da conferência, o secretário anunciou que já está no ar o portal da campanha do MPLA (http://mpla2012.ao)  e frisou que outras conferências acontecerão durante o processo eleitoral, que começa na próxima terça-feira (31).

Acompanhe alguns trechos destacados da conferência:

Políticas para a Juventude

"Vamos continuar a promover o desenvolvimento salutar das nossas crianças e jovens. Vamos desenvolver todas as infraestruturas do sistema de ensino, de forma a fazer não só mais quantidade de salas de aula, mas pretendemos dar uma maior qualidade de ensino em Angola. Vamos investir na qualidade dos professores, na sua formação para que possamos a médio e longo prazos termos jovens mais bem formados e com capacidade de responder às necessidades do país em termos de desenvolvimento. No domínio da educação, vamos continuar a desenvolver o ensino superior. Há 10 anos tínhamos três mil estudantes, e hoje, face às políticas que o governo adotou, estamos acima de 150 mil. Pretendemos, no próximo quinquénio, um desenvolvimento maior. No domínio da formação profissional, vocacionar os cursos para o primeiro emprego beneficiando os jovens que optem por áreas mais técnicas. Vamos investir na prática  desportiva das escolas e fora delas. Também vamos potenciar os jovens inovadores com capacidade para empreender novas ideias, novos projectos."

MPLA

"Somos um Partido que emana do povo e governa para o povo. Foram muitos os sacrifícios que muitos de nós, quer como cidadãos e como militantes do MPLA, tivemos que fazer para conquistar a paz e proporcionar as condições básicas para que o nosso país pudesse catapultar para o desenvolvimento. Felizmente, o MPLA conseguiu cumprir algumas das metas mais difíceis que tínhamos, aquelas que não sofreram muito com a crise económica. Graças a estratégia que adoptamos, os efeitos em Angola foram minimizados. Mantivemos o nosso crescimento e promovemos muitos dos nossos programas. Angola de hoje não é Angola de a 10 anos atrás e, com certeza, teremos uma Angola bem melhor nos próximos cinco anos, se o MPLA continuar com o beneplácito do povo angolano."

Iluminação pública

"Há um esforço grande do governo nesta área. As nossas  principais unidades de produção de energia estão agora no caminho certo. Só tendo mais disponibilidade energética é que poderemos partilhar melhor aquilo que é  para o consumo domiciliar de energia, aquilo que é a necessidade que o país tem de energia. Esta é a aposta que o MPLA está a fazer."

Valorização dos quadros nacionais

"Estamos a apostar na redução da diferença salarial entre os técnicos nacionais e estrangeiros quando uns e outros tenham as mesmas capacidades técnicas e profissionais. Este é o caminho a seguir. É necessário o equilíbrio entre o desenvolvimento tecnológico  e humano do nosso país em parceria com aqueles que podem e têm capacidade de nos ajudar."

Primeiro emprego

"Em primeiro lugar, é prioridade para a diversificação da nossa economia com um empresariado nacional forte e capaz de produzir estes empregos. Mas não basta produzir empregos. Temos que formar os nossos jovens no sentido de capacitar estes para o emprego. Isso só se faz através da formação."

Habitação 

"Apostamos na criação de soluções quando decidimos criar os novos centros de desenvolvimento urbano.  Fizê-mo-lo pensando na juventude, naqueles que ainda não tem casa própria. É para esses que o Kilamba e as novas centralidades que estamos a construir servirão. O Kilamba vai começar a ser habitada nos próximos dias, já está em curso este processo. Nós decidimos beneficiar, nesta primeira fase, todos aqueles que não têm casa e são servidores diretos do Estado, que serão os principais beneficiários."

Militares

"Há um quadro geral de apoio aos ex-combatentes. A Caixa Geral das Forças Armadas beneficia dezenas de militares, de cidadãos que serviram as Forças Armadas. Há outros fundos sociais de apoio a ex-combatentes. Muito mais há por fazer, mais trabalho para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos e dos ex-militares. Eles sabem que eles merecem da nossa parte todo o carinho e continuaremos a fazer todo o nosso esforço e trabalho." 

Crescer mais, distribuir  melhor

"Uma das formas de crescer mais é desenvolver a infraestrutura, diversificar a economia, mais disponibilidade de emprego, integrar famílias em projetos. Distribuir melhor tem a ver com a qualidade dos serviços do Estado ao cidadão: água, energia, empregos. Crescer economicamente e levar a riqueza nacional para cada cidadão."

Problemas de Luanda

"Luanda é uma megalópole, uma cidade imensa que traz consigo própria muitos problemas. Nenhuma cidade é elástica. Temos que nos adaptar ao espaço que herdamos. Problemas de saneamento básico, energia, água, ainda vão causar transtornos, mas estamos a trabalhar para melhorar tudo isso. Fazendo com que Luanda cresça."

Porto Cabinda 

"Estamos em processo de concurso e depois será o início das obras. A primeira pedra será lançada ainda este ano. O Conselho de Ministros aprovou o projecto geral,  agora vamos partir para a concretização. O importante é que  Cabinda vai ter um novo porto comercial."

Salário mínimo

"O MPLA continua a trabalhar. Quanto mais tivermos em termo de rendimento nacional, mais e melhor vamos poder distribuir.  É o esforço a fazer nos próximos tempos. Tendo em conta que temos tido melhorias, mas ainda não satisfazem as necessidades nos níveis que gostaríamos de ver, esta questão será resolvida. O salário mínimo cresce em função do crescimento nacional. Quanto mais receitas, melhores salários poderemos atribuir aos servidores públicos. O nosso lema é crescer mais e distribuir melhor. Quanto mais produzimos, mais riquezas teremos para distribuir."

José Eduardo Santos

"Queremos ir com a liderança do camarada  Presidente José Eduardo Santos para transformar Angola num País melhor para se viver. Ele é o melhor candidato que Angola tem, seguramente."

 Para assistir na íntegra da entrevista, procure o ecran na home do nosso portal